23 de mai de 2012

As Emoções que os Livros Despertam...

Gente, segunda-feira, na aula de Yoga, aconteceu uma situação que me motivou a vir aqui escrever um post com esse título... Vou contar todo o episódio pra vocês entenderem melhor a coisa toda:

Estava eu lá, fazendo a meditação inicial da aula de Yoga - agradecendo pelo dia que havia tido (era de noite já), imaginando uma “luz azul celeste brilhante” iluminando o ambiente e todas as pessoas que eu amo, inspirando e expirando, devagar e com calma, sentindo o aroma do óleo essencial de rosas - quando de repente, me vem na cabeça a história de um livro que li... E, junto com a história, me veio um sentimento tão confuso e intenso que chegava a ser opressor (meio dramático o negócio)...  Por um momento, parecia que eu estava conseguindo sentir tudo o que personagem viveu e sofreu... Olha, a coisa foi tão profunda que tive até vontade de chorar - sim, porque o livro em questão, O Tamanho do Céu, foi um dos mais tristes que já li em toda a minha vida... Fui lá na Índia e voltei... Tudo bem que a Yoga e a Índia estão intimamente ligadas, mas não no sentido que essa pessoa aqui relacionou durante a aula... Como a própria Santana vive dizendo (minha professora e “ídola”), alguns romances insistem em retratar uma Índia triste e sofrida, deixando de lado a parte leve, alegre e colorida dessa cultura tão vasta e maravilhosa (leia mais aqui)... Pois é, só que não foi essa idéia de alegria e colorido que me fez voltar pra aula não, o que me fez cair na real mesmo foi uma boa sacudida de cabeça (literalmente meu povo, eu tive que balançar o cérebro), e um pensamento do tipo: “Ui Aliny, acorda, cai na real e esquece essa história, inspira, expira e relaxa minha filha...” E funcionou, ainda bem...

Então, tentando “sublimar” tudo isso - na Psicanálise, de um modo bem geral, sublimar é a capacidade de converter uma dor, uma dificuldade, um problema ou uma neurose em criatividade, em algo que possa nos fazer bem - quis escrever e dividir minhas impressões (e divagações) com vocês...

Um livro é capaz de despertar as mais profundas e diferentes emoções, revelando sentimentos, nos fazendo pensar, chorar e sorrir... Eu já senti saudade de um personagem, já senti tristeza por sua história - a ponto de rezar para jamais viver coisa parecida - já chorei que me acabei (até soluçar), mas também já ri muito, em alto e bom som, já torci por finais felizes, já perdi a paciência e quis xingar protagonistas, já fiquei ansiosa imaginando a continuação que um romance poderia ter... Enfim minha gente, através da leitura já vivi momentos maravilhosos e, isso que eu contei hoje, embora não pareça assim muito animador, teve como objetivo mostrar a vocês o quanto a leitura é algo vivo, algo transformador e inesquecível (às vezes triste também, mas faz parte)... Aliás, acho que foi pensando nisso que tentei escrever um texto com mais vida e sentimento, para quem sabe assim, vocês se sentirem mais próximos das palavras, como numa conversa com amigos de leitura... Espero que tenha conseguido, hehe... Até mais!!!


7 comentários:

  1. Que relato lindo, minha querida! sabe que por várias vezes já vivi isso, não desta forma, mas alguns momentos que me ligam à histórias já lidas e que ficam para sempre dentro do meu coração. Acho isso tudo rico demais e por causa de ti (boas influências), estou começando a ler novamente...hoje estive em Curitiba e conheci a Jô, do blog Arte amiga...uma graça de pessoa...beijos e até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Cláudia!!!!! Adoro Curitiba e sou louca para conhecer todas vocês, a Jô inclusive, adoro os textos dela... Bom dia e beijãoooooo flor

      Excluir
  2. Aeeeee Liny,
    Ótimo post, que delicia essa aula de Yoga hein!
    É pra terminar o dia muito bem.
    E a leitura.... ah... a leitura...
    Assino embaixo das tuas palavras...
    Já tive até depressão pós livro hahahahahaha
    Um beijoooooooooooooo

    ResponderExcluir
  3. A primeira vez que me envolvi demais com um livro, eu nem comentei com ninguém por medo de que as pessoas não entendessem e me achassem louca...rsrs Mas a verdade é que sempre me envolvo demais com o livro. Já li romances que me fizeram sonhar "acordada e dormindo" com o mocinho. Já ri...gargalhei...chorei baixinho...chorei de soluçar...e como a Fernanda disse já tive depressão pós livro.
    O ultimo livro que mexeu muito comigo, foi Comer Rezar e Amar. fiquei semanas reavaliando minha vida e querendo fazer uma série de mudanças...tudo por causa do livro.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorita, entendo completamente tudo o que tu escreveu (e pensou)... Na verdade teu comentário é uma ótima continuação do post, junto com o da Fernanda...
      Esses livros fazem coisas, hehe...
      Beijooooo

      Excluir
  4. Aliny, respondendo seu comentário lá no blog...
    eu sempre incentivei o Guigo e ler desde muito bebezinho. comprava revistinhas pra colorir e ia montando histórinhas com ele....inventava histórias...e sempre comprei muito livro pra ele, mas fazia questão deler muito pra ele....pelo menos uma historinha antes de dormir...toda noite.
    eu comprei uma coleção q existia na época, não
    sei se ainda existe, Nana Nenê, que tinha uma historinha pra cada dia do ano e vinha acompanhada da fita cassete com o aúdio. As historinhas eram curtinhas e ele adorava. Bom...nem preciso dizer que ele cresceu e se tornou um devorador de livros mais voraz que eu fui algum dia. Tenho que freiar as vezes senão ele perde o controle na compra de livros....rsrsrs
    E de tanto ler....agora ele tb escreve. Tá escrevendo um livro, e tem um blog onde ele faz algumas crônicas. Se quiser conhecer...
    www.cavernaeremita.blogspot.com

    Tenho certeza que seu bebê tb será um devorador de livros ;)
    Desculpe o texto enorme!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro textos grandes!!! E quando tiver filhos eles serão sim, devoradores de livros, vou seguir tuas dicas, hehe...
      Beijãooo amore
      Já fui ver o blog dele uma vez, vou lá de novo...

      Excluir