30 de mai de 2012

Quem Sou EU... Parte II


Oiii de novo minha gente!!! Começaram a semana bem??? Espero que sim...
Então, na segunda-feira, num post anterior a esse, publiquei aqui uma crônica da nossa querida Martha Medeiros chamada Quem Sou Eu... Hoje, aproveito o texto dela (com as devidas substituições) para falar sobre quem EU, Aliny - essa pessoa que vos fala - SOU... Assim vocês me conhecem um pouquinho mais... Espero que gostem e deixo o convite para minhas amigas, companheiras de blog, fazerem o mesmo... Uma boa quarta-feira meu povo!!!
Obs: Minhas substituições estão em maiúsculas ou em itálico, ok???

Quem sou eu??? Quando não temos nada de prático nos atazanando a vida, a preocupação passa a ser existencial. Pouco importa de onde viemos e para onde vamos, mas quem somos é crucial descobrir.
A gente é o que a gente gosta. A gente é nossa comida preferida, os filmes que a gente curte, os amigos que escolhemos, as roupas que a gente veste, a estação do ano preferida, nosso esporte, as cidades que nos encantam. Você não está fazendo nada agora?? Eu idem. Vamos listar que a gente é: você daí e eu daqui.

Eu sou INVERNO, disparado. Amo o frio, o vento gelado batendo no rosto... Por mim o ano todo se definiria como essa estação e o azul de seu céu e o colorido de suas flores...
Sou Woody Allen (idem Martha). Sou EDDIE VEDDER. Sou Marilia Gabriela (idem). Sou Nelson Motta (idem). Sou MARIAN KEYS (adoro esse tipo de literatura). Sou CARLOS HEITOR CONY. Sou MARTHA MEDEIROS. Sou tantos autores, não consigo citar só um, nem três...

Sou pães, queijos e vinhos também, mas não seriam os três alimentos que eu levaria para uma ilha deserta, mas não sou ilha NEM sou metrópole. Ultimamente ando bem MONTANHAS pra falar a verdade...
Sou bala FRUITTELLA de caramelo. Sou GUARANÁ Antarctica Diet (ou zero, sei lá). Sou SALADA com MIX de FOLHAS e TOMATE, BETERRABA, PALMITO e KANI (e bastante azeite de oliva e gersal). Sou MASSAS. Sou todas aquelas coisas do Buffet de Frios. Sou Sushi e Sashimi, Comida Mexicana e Árabe. Sou morango, mas não com sorvete de creme e sim CHANTILLY e SUSPIRO. Sou CAMARÃO à GREGA do Tartaruga, em Ibiraquera. Sou cachorro-quente COM QUASE TUDO DENTRO, não só com mostarda e queijo ralado. Do churrasco, sou BATATA ASSADA com SAL, QUEIJO RALADO e AZEITE de OLIVA.
Sou livros, MUITOS, MUITOS LIVROS!!!. CDs, muito mais do que Ipod, Iphone e Mp3. Sou SERIADOS. Revistas, mas confesso que perdi um pouco a paciência de lê-las. Sou internet, mas só de segunda à quinta. Já fui muito tevê, hoje só um pouco GNT (adorei essa frase, mas gosto de muitos outros canais da Sky também e essa história de SKYHD conquistou meu coração e minha atenção, hehe). Rádio. BOSSA NOVA. MICHAEL BUBLÉ. BEN HARPER. Cinema. Cinema. Cinema. Teatro.
Sou VERDE. Sou FIGUEIRENSE. Sou cabelo liso. Sou jeans. Sou balaio de saldos. Sou AR CONDICIONADO. Sou avião. Sou jeep. NÃO Sou TÃO bicicleta. Sou mais à pé.
Você está fazendo sua lista??? Tô esperando.
Sou VELAS e AROMATIZADORES. Sou abajur (idem). Sou banho MORNO. Hidratantes (queria ser mais, mas tenho preguiça). Não sou musculação, nem nada muito agitado, sou completamente YOGA. Sou mar e sou areia... Quero ser Londres, Roma e Paris ainda. Sou Rio (mas acho que todo brasileiro é um pouco né???). Gramado, Ibiraquera, Tubarão.
Sou mais cama que mesa, mais dia que noite, mais flor que fruta, mais salgado que doce, mais música que silêncio, mais pizza que banquete, mais champanhe que caipirinha (nessa última frase não mudo nada do que a Martha escreveu). Sou esmalte NUDE ou VERMELHO (depende do astral do dia). Sou MAQUIAGEM. NÃO Sou Gisele. Sou falante, sou amiga para todas as horas. Sou discreta e não gosto de chamar atenção. Gosto do conhecimento e de gente de bom coração... Sou eu mesma.
Agora é sua vez.


O Rio e sua Bossa, sua Cultura, sua Poesia: AMO!!!

Gramado e suas cores, suas flores, seus aromas: nessa foto duas paixões numa só - a Cidade e uma loja de velinhas e aromas, vale a pena conhecer!!! Amo muito!!!


PS: Fafá I Love You, esse post é especialmente para a senhora!!!








28 de mai de 2012

Quem sou eu...

Que tal começarmos nossa semana com uma boa crônica da Martha Medeiros hein??? Eu topo - e vocês serão obrigados a topar também, hehe...
Quem somos nós??? Acho que somos de tudo um pouco... Somos o que acreditamos ser... Somos um pouco do que gostaríamos de ser... Somos o que pensamos da gente... Somos aquilo que esquecemos de olhar e dar valor, mas que está ali guardadinho...
Alguns podem ser algumas das coisas da qual Martha falou ou não... Felizmente, nesse mundo, ainda temos a liberdade e a esperança de sermos quem quisermos ou sonharmos ser...

Quem sou eu??? Quando não temos nada de prático nos atazanando a vida, a preocupação passa a ser existencial. Pouco importa de onde viemos e para onde vamos, mas quem somos é crucial descobrir.

A gente é o que a gente gosta. A gente é nossa comida preferida, os filmes que a gente curte, os amigos que escolhemos, as roupas que a gente veste, a estação do ano preferida, nosso esporte, as cidades que nos encantam. Você não está fazendo nada agora? Eu idem. Vamos listar que a gente é: você daí e eu daqui.

Eu sou outono, disparado. E ligeiramente primavera. Estações transitórias.
Sou Woody Allen. Sou Lenny Kravitz. Sou Marilia Gabriela. Sou Nelson Motta. Sou Nick Hornby. Sou Ivan Lessa. Sou Saramago.

Sou pães, queijos e vinhos, os três alimentos que eu levaria para uma ilha deserta, mas não sou ilha: sou metrópole.

Sou bala azedinha. Sou coca-cola. Sou salada caprese. Sou camarão à baiana. Sou filé com fritas. Sou morango com sorvete de creme. Sou linguado com molho de limão. Sou cachorro-quente só com mostarda e queijo ralado. Do churrasco, sou o pão com alho.

Sou livros. Discos. Dicionários. Sou guias de viagem. Revistas. Sou mapas. Sou internet. Já fui muito tevê, hoje só um pouco GNT. Rádio. Rock. Lounge. Cinema. Cinema. Cinema. Teatro.

Sou azul. Sou colorada. Sou cabelo liso. Sou jeans. Sou balaio de saldos. Sou ventilador de teto. Sou avião. Sou jeeep. Sou bicicleta. Sou à pé.

Você está fazendo sua lista??? Tô esperando.

Sou tapetes e panos. Sou abajur. Sou banho tinindo. Hidratantes. Não sou musculação, mas finjo que sou três vezes por semana. Sou mar. Não sou areia. Sou Londres. Rio. Porto Alegre.

Sou mais cama que mesa, mais dia que noite, mais flor que fruta, mais salgado que doce, mais música que silêncio, mais pizza que banquete, mais champanhe que caipirinha. Sou esmalte fraquinho. Sou cara lavada. Sou Gisele. Sou delírio. Sou eu mesma.
Agora é sua vez.

25 de mai de 2012

Os Diários de Carrie

Divertido, inteligente, jovem... A autora, Candace Bushnell, escreveu esse romance de maneira muito leve e direta... Não posso dizer que relembrei minha adolescência com ele, não, isso não aconteceu... Não sei se porque a adolescência nos Estados Unidos é um pouco diferente daqui (ou a juventude é parecida em todo lugar??? Ai ai, fiquei em dúvida agora, mas deixa pra lá) ou simplesmente se porque quando paramos e olhamos para trás – enxergando nossos últimos anos colegiais antes da faculdade – nos damos conta de que tudo naquela época era bem mais simples do que parecia... Quer dizer, pra ser mais justa, tudo parece bem mais simples agora, depois de uma longa jornada de tempo e amadurecimento certo??? Quando terminei o segundo grau e escolhi um curso e passei numa faculdade, achei que era aquele o caminho certo... Hoje, olhando para trás, vejo que no fundo nós somos é bem do corajosos... Sim, porque uma faculdade, um curso, uma profissão, consistem numa escolha e tanto... Claro, tudo sempre pode mudar hoje ou amanhã, basta virar a direção – e ter peito para fazer isso – mas ainda assim tivemos essa coragem para escolher e ainda tendo que lidar com um delicado fator: o medo - de não poder voltar atrás... Enfim...

Agora não importa se me senti mais próxima ou não dessa Carrie adolescente... O que valeu mesmo nesse livro, foi conhecer um pouco mais da sensibilidade e da força que fez daquela Carrie mocinha, um fenômeno nova yorquino, uma mulher independente, decidida e descolada... Ahhhh, e sonhadora, claro!!! Porque os sonhos não nos fragilizam, pelo contrário, eles nos fazem ser quem somos, eles nos impulsionam... Conhecer essa jovem é entender que muitas de nós, já começaram sua jornada bem lá atrás... As pessoas, a cultura, os amigos, o conhecimento, as escolhas, os acontecimentos, só vão dando mais forma e sentido a essa caminhada, mas a decisão final é sempre nossa... Como diz o pai da Carrie: sempre se trata de nós com nós mesmos... E, graças a Deus, o tempo só vai trazendo mais certezas ou no mínimo, menos medo de errar...

Para quem gosta do seriado ou dos filmes de Sex and the City, esse livro é uma boa maneira de compreendermos melhor onde tudo começou... Agora quero ler a continuação de Os Diários de Carrie que se chama O Verão e a Cidade – não falei no post passado que ficava ansiosa com romances que tinham continuação??? Pois é... Depois venho contar o que mais descobri e quem sabe filosofar mais um pouquinho também??? hehe... Um fim de semana maravilhoso minha gente... Sejam vocês mesmos sempre, com defeitos ou qualidades, acho que o que vale nessa vida é sempre buscarmos sermos melhores, pessoas melhores, com mais amor e paz no coração!!! Ser Feliz...


23 de mai de 2012

As Emoções que os Livros Despertam...

Gente, segunda-feira, na aula de Yoga, aconteceu uma situação que me motivou a vir aqui escrever um post com esse título... Vou contar todo o episódio pra vocês entenderem melhor a coisa toda:

Estava eu lá, fazendo a meditação inicial da aula de Yoga - agradecendo pelo dia que havia tido (era de noite já), imaginando uma “luz azul celeste brilhante” iluminando o ambiente e todas as pessoas que eu amo, inspirando e expirando, devagar e com calma, sentindo o aroma do óleo essencial de rosas - quando de repente, me vem na cabeça a história de um livro que li... E, junto com a história, me veio um sentimento tão confuso e intenso que chegava a ser opressor (meio dramático o negócio)...  Por um momento, parecia que eu estava conseguindo sentir tudo o que personagem viveu e sofreu... Olha, a coisa foi tão profunda que tive até vontade de chorar - sim, porque o livro em questão, O Tamanho do Céu, foi um dos mais tristes que já li em toda a minha vida... Fui lá na Índia e voltei... Tudo bem que a Yoga e a Índia estão intimamente ligadas, mas não no sentido que essa pessoa aqui relacionou durante a aula... Como a própria Santana vive dizendo (minha professora e “ídola”), alguns romances insistem em retratar uma Índia triste e sofrida, deixando de lado a parte leve, alegre e colorida dessa cultura tão vasta e maravilhosa (leia mais aqui)... Pois é, só que não foi essa idéia de alegria e colorido que me fez voltar pra aula não, o que me fez cair na real mesmo foi uma boa sacudida de cabeça (literalmente meu povo, eu tive que balançar o cérebro), e um pensamento do tipo: “Ui Aliny, acorda, cai na real e esquece essa história, inspira, expira e relaxa minha filha...” E funcionou, ainda bem...

Então, tentando “sublimar” tudo isso - na Psicanálise, de um modo bem geral, sublimar é a capacidade de converter uma dor, uma dificuldade, um problema ou uma neurose em criatividade, em algo que possa nos fazer bem - quis escrever e dividir minhas impressões (e divagações) com vocês...

Um livro é capaz de despertar as mais profundas e diferentes emoções, revelando sentimentos, nos fazendo pensar, chorar e sorrir... Eu já senti saudade de um personagem, já senti tristeza por sua história - a ponto de rezar para jamais viver coisa parecida - já chorei que me acabei (até soluçar), mas também já ri muito, em alto e bom som, já torci por finais felizes, já perdi a paciência e quis xingar protagonistas, já fiquei ansiosa imaginando a continuação que um romance poderia ter... Enfim minha gente, através da leitura já vivi momentos maravilhosos e, isso que eu contei hoje, embora não pareça assim muito animador, teve como objetivo mostrar a vocês o quanto a leitura é algo vivo, algo transformador e inesquecível (às vezes triste também, mas faz parte)... Aliás, acho que foi pensando nisso que tentei escrever um texto com mais vida e sentimento, para quem sabe assim, vocês se sentirem mais próximos das palavras, como numa conversa com amigos de leitura... Espero que tenha conseguido, hehe... Até mais!!!


21 de mai de 2012

Segunda-feira


Bom início de semana pessoal... Um abração especial para todos os leitores, amigos, parceiros de blog, incentivadores, povo que deixa comentários, família... Enfim, para todos aqueles que tornam esse blog possível e a minha vida muito mais feliz e especia!!!
Quero já começar a semana com o pé direito e, para isso, divido com vocês uma frase do Osho que adoro... Aliás, adoro tanto que a coloquei na parede do nosso lavabo em forma de adesivo, para nunca esquecer:

“Esqueça essa história de tentar entender tudo,
em vez disso viva,
em vez disso divirta-se...
Não analise, CELEBRE!!!”

17 de mai de 2012

Dicas para o fim de semana:


Oláááá minha gente!!!!
Estou passando para desejar um fim de semana MARAVILHOSO pra todos vocês... Continuo lendo Os Diários de Carrie – ando meio devagar mesmo, concordo – e assim que terminá-lo venho aqui “dar uma geral” da história, podem deixar, hehe...

Aproveitem bem o sábado e o domingo pessoal: descansem, durmam, leiam, assistam a algum filme em casa (comam bastante pipoca) ou tentem pegar um cineminha também... Ahhhhh... E falando em cineminha, gostaria de dar a dica de dois filmes que estão passando (em Tubarão ainda não, uixxx...) e que estou louca para assistir:


UM MÉTODO PERIGOSO: a história mostra o encontro de dois mestres da Psicanálise (amo Psicanálise, logo sou suspeita para falar, hehe,) Sigmund Freud (ele mesmo) e Carl Gustav Jung, e o envolvimento deles com a paciente Sabine Spielrein.


PARAÍSOS ARTIFICIAIS: Erika é uma DJ de relativo sucesso muito amiga de Lara. Juntas, durante um festival onde Erika trabalhava, elas conheceram Nando e, juntos, vivem um momento intenso. Entretanto, logo em seguida o trio se separa. Anos depois Erika e Nando se reencontram em Amsterdã, onde se apaixonam. Só que apenas Erika se lembra do verdadeiro motivo pelo qual eles se afastaram logo após se conhecerem, anos antes.

DIVIRTAM-SE!!!


15 de mai de 2012

Relendo...


Olá pessoal!!! Bom, eu tinha sumido, mas agora estou de volta, graças a Fá (minha cunhada e amiga), que me emprestou o notebook dela – Obrigada Fá!!! Entendam o drama do sumiço aqui, hehe...

Então, nesse meio tempo em que não dei o ar da graça, terminei a leitura de Sob o Signo de Gêmeos, da Rosamunde Pilcher, e escrevi sobre ele (aqui), e comecei a ler outro romance... Acontece que esse tal romance, eu já havia lido no ano passado... Pois é minha gente, embora eu não seja uma pessoa que goste de repetir livros (não era antes, quando tinha uma memória melhor, ainda não prejudicada pela idade, hehe), é bem isso que estou fazendo agora: estou relendo Os Diários de Carrie, da Candace Bushnell. A boa notícia é que embora já o tenha lido, ainda não escrevi sobre ele...

Pra quem não sabe, "Os Diários de Carrie" é o livro que conta a história da querida personagem Carrie Bradshaw antes de Sex and the City... Ou seja, é através dessa narrativa que conhecemos um pouco mais sobre a família, os amigos e os primeiros relacionamentos de Carrie, antes dela chegar a Nova York e se tornar aquele furacão de mulher que conhecemos assistindo ao seriado (e suas seis temporadas) e/ou aos filmes...

Bom, resolvi reler esse romance porque além de estar viciada no seriado Sex and the City de novo, estou louca para comprar O Verão e a Cidade, que é justamente a continuação de Os Diários de Carrie... Sendo assim, preciso me atualizar para entender o contexto todo entendem??? hehe... Ahhh, e tem mais uma coisa: andei sabendo que vão fazer uma versão juvenil do seriado Sex and the City, mostrando a chegada de Carrie a Big Apple e o encontro das quatro amigas... Para isso, esse novo seriado, contará com outras atrizes para fazer o papel das quatro personagens, além de um guarda-roupa pra lá de vintage - anos oitenta total... Ai ai, já estou ansiosa!!!
Para ler mais sobre Sex and the City, clique aqui.






13 de mai de 2012

Desculpem o sumiço...



Oiii meu povo!!!! Finalmente dei sinal de vida...
Bom, em primeiro lugar, gostaria de pedir desculpa pela demora em aparecer - já se passaram quase duas semanas desde o último post, tanto que deu tempo até de terminar um livro, pelo menos isso, e já começar outro... Mas, infelizmente, essa demora aconteceu porque nosso notebook foi roubado (juntamente com outras muitas coisas, entre elas nossas malas) no feriadão do dia do trabalhador e ainda estamos nos reorganizando e decidindo o que fazer... A compra de um novo note ainda está dependendo da resposta do supermercado em cujo estacionamento nosso carro foi arrombado... Sim, o carro teve o vidro quebrado e as coisas roubadas dentro do estacionamento de um supermercado, mas, felizmente, talvez eles possam nos ressarcir, aliás, isto é o que ansiosamente esperamos, hehe... Então, para encerrar meu pedido de desculpas (e a explicação) pelo sumiço, gostaria só de lhes lembrar uma coisinha: não deixem pertences dentro do carro quando saírem dele certo??? Mas acho que isso todo mundo já sabe – a gente também sabia, mas esqueceu e olha no que deu (até rimou), hehe... Como já diz o ditado: vão-se os anéis, ficam os dedos, e afinal de contas foram apenas coisas materiais não é mesmo?? O que importa é que com a gente está tudo bem...

Agora vamos ao que interessa...
Gente, eu nunca havia lido nada da Rosamunde Pilcher, conforme comentei numa postagem anterior a essa, e pra mim foi uma surpresa muito especial poder conhecer o trabalho dela... Esse livro, Sob o Signo de Gêmeos, é simplesmente MARAVILHOSO!!! Um romance lindo, com personagens sensíveis, apaixonantes e inesquecíveis... Uma narrativa encantadora e capaz de nos fazer suspirar (sabem aqueles suspiros sonhadores??? Então...). Uma história de amor para ler e guardar na lembrança - leve, romântica, feliz... E tudo isso ambientado num país que eu SONHO em conhecer: a Escócia!!! Ai, ai...

Pois é minha gente, depois de conhecer um romance da Rosamunde Pilcher – que sabe contar como ninguém uma boa história de amor - fica quase impossível não querer sair logo correndo atrás de outro (e de outro, e de outro)... E eu até já sei qual será minha próxima escolha entre os trabalhos da escritora: Os Catadores de Conchas – que pegarei emprestado lá na biblioteca do Yoga. Depois venho contar aqui...

E é isso meu povo, um início de semana maravilhoso pra todos vocês... Se eu demorar um pouquinho para aparecer, não se espantem, longe dos olhos, mas perto do coração, hehe... Brincadeira, mas estou me organizando e espero ter um novo note em mãos o mais breve possível... Estou louca para criar uma nova pastinha para o blog e ir adiantando meus textos, como sempre gostei de fazer... Paciência, paciência... E para as mamães: um feliz dia das mães!!! Mas como já dizia minha mamis, o dia das mães é todo dia... Até mais!!!


2 de mai de 2012

Rosamunde Pilcher

Então, Rosamunde Pilcher, pra quem não conhece, é uma autora inglesa consagrada e mundialmente reconhecida por suas histórias de amor... Já estive com um de seus romances, chamado Os Catadores de Conchas, diversas vezes em mãos porque ele faz parte de um pequeno acervo para empréstimos que existe no espaço onde faço Yoga, mas nunca li... Até já peguei emprestado algumas obras desse acervo - caso de Paixão Índia, do Javier Moro – só que nunca tinha me sentido “tentada” a ler Os Catadores de Conchas – e o pior é que nem sei bem o por que disso - não lembro se a sinopse não tinha chamado minha atenção na época ou se eram muitas as páginas (estou sendo sincera, hehe), enfim, não lembro mesmo...

Pois é, acontece que a Tharcilla (que além de minha grande amiga é uma pessoa com quem amo trocar informações literárias), tinha um romance da Rosamunde Pilcher em casa também e resolveu me emprestá-lo... Quando voltei do Rio contei que a mala estava cheia de DVDs do Sex and the City e de livros, lembram??? Pois então, Sob o Signo de Gêmeos era um desses livros... Comecei a leitura na semana passada e estou amando... Agora tenho quase certeza que vou atrás dos outros trabalhos da autora, inclusive de Os Catadores de Conchas - que já reneguei num passado não muito distante (quanta injustiça!!! hehe)... Estou achando isso porque, na contracapa do exemplar de Sob o Signo de Gêmeos, está escrito que quando se acaba de ler um livro da Rosamunde, logo já ser quer outro, e eu, como bem me conheço, sinto que vai ser assim comigo também... Tomara, porque uma história de amor bem escrita e ainda com um romântico cenário inglês de fundo, é o tipo de coisa capaz de transformar qualquer narrativa numa maravilhosa leitura... Eeeeeeeee... Bom início de semana pessoal!!!! (pra mim a semana começa hoje, quarta-feira, hehe)

Sob o Signo de Gêmeos: “Toda família tem algum segredo, mas Flora Waring descobre que o da sua é devastador. Aos vinte e dois anos, fica sabendo que tem uma irmã gêmea idêntica, Rose, que vive com a mãe, de quem ela não tem a menor lembrança. E quando Flora se vê obrigada a assumir o papel da irmã numa trama de mentiras, descobre o quanto esse fingimento poderá lhe custar caro. Ao decidir acompanhar o noivo de Rose ao encontro da avó na Cornualha, acaba se apaixonando pela família Armstrong... e por um homem maravilhoso. Ao mesmo tempo, terá que se defrontar com os segredos chocantes de Rose e assumir o risco de ver a felicidade escapar de suas mãos...”