29 de jun de 2012

Dia Especial...


O dia de hoje é muito muito muito especial... Há exatos 36 anos, nascia o Davi... Esse, que tem o mesmo nome do Rei, escolhido por Deus, para comandar Israel... Esse, que tem nome de estrela, a estrela mais brilhante do céu, a primeira a nascer... Esse, que muita gente tem a alegria e o orgulho de conhecer... O filho da Tia Vera e do Tio Beto, o irmão da Fá e da Beta, o amigo pra todas as horas de muitos amigos... Esse Davi, que além de ser uma das pessoas mais leves e especiais que já conheci, é também o AMOR da minha VIDA...
Feliz Aniversário!!! Que a vida seja sempre doce e serena com você, que o caminho seja sempre cheio de luz, que todos os dias sejam de paz e de harmonia, que a esperança o mantenha firme nos seus propósitos e sonhos, que a fé seja o alimento da sua alma e que o amor transborde sempre em nossos corações, tornando a vida mais colorida e leve, cheia de felicidade... Parabéns meu amor!!! Te amo muito!!!!





28 de jun de 2012

Sugestão


Olá pessoal!!!
Sei que aqui no blog já existe um link (ali em cima) sobre PRESENTES, com sugestões, informações e dicas de livros para presentear os amigos e amantes da literatura, mas resolvi fazer esse post mesmo assim, para falar sobre um romance que demos para a Vevé (minha sogra) no dia das mães e ela adorou...
O romance escolhido foi A Casa das Orquídeas, da Lucinda Riley... Escolhemos (tá bom, confesso, eu escolhi, hehe) o livro pela sinopse – adoro ler sinopses e essa me pareceu bem interessante - e acertei viu??? Segundo a Vevé, ele é ótimo e, para quem gosta de histórias que envolvem boas sagas familiares então, esse parece um prato cheio... Inclusive agora, A Casa das Orquídeas está lá em casa me esperando, mas ele ainda não é a leitura da vez, mas me aguardem, hehe... Tchau meu povo!!! Fica a dica...


Sinopse: Quando criança, a pianista Júlia Forrester passava seu tempo na estufa da propriedade Wharton Park, onde flores exóticas cultivadas pelo seu avô nasciam e morriam com as estações.
Agora, recuperando-se de uma tragédia na família, ela busca mais uma vez o conforto de Wharton Park, recém-herdada por Kit Crawford, um homem carismático que também tem uma história triste. No entanto, quando um antigo diário é encontrado durante uma reforma, os dois procuram a avó de Júlia para descobrirem a verdade sobre o romance que destruiu o futuro de Wharton Park...
E, assim, Júlia é levada de volta no tempo, para o mundo de Olívia e Harry Crawford, um jovem casal separado cruelmente pela Segunda Guerra Mundial, cujo frágil casamento estava destinado a afetar a felicidade de muitas gerações, inclusive da de Júlia...


26 de jun de 2012

O Verão e a Cidade (ou Os Diários de Carrie parte II)




Adorei O Verão e a Cidade, muito mais que Os Diários de Carrie... Quer dizer, embora no primeiro livro Carrie seja uma jovem apaixonante, apaixonada e obstinada ao mesmo tempo, nesse segundo ela parece um pouco diferente - mais determinada (ainda), mais segura de si, mais criativa, mais dona de seu nariz, mais madura, sem medo de errar... Nem Nova York foi capaz de apagar seu brilho e seus sonhos, pelo contrário, acho que a cidade ainda revelou o melhor dela, e talvez por isso, tanto nos seriados como no filme Sex and the City, a Big Apple pareça a melhor cidade do mundo, onde tudo pode acontecer...

A única coisa que, sinceramente, preciso criticar (gente eu sempre tenho dificuldades para criticar um livro sabiam???) uma coisinha: existem algumas lacunas entre o seriado Sex and the City e os dois livros: Os Diários de Carrie e O Verão e a Cidade (ou Os Diários Volume II)... Já tinha sentido algumas diferenças entre o que a Carrie adulta conta sobre sua juventude e família no seriado e entre o que a gente lê no livro Os Diários de Carrie. E olha minha gente, não entendo muito bem o porquê disso, já que a autora (e criadora) da personagem é sempre a pessoa que mais conhece e sabe dela certo??? Achei que essa discordância foi desnecessária, aliás, prefiro a versão de família e juventude do livro O Verão e a Cidade e Os Diários de Carrie... Até porque, uma coisa que gostei muito, foi o quanto essa Carrie jovem era destemida, porém doce e sensível ao mesmo tempo, leve, o quanto ela era amada pela família e o quanto a personalidade de sua mãe fez toda a diferença no seu jeito de ser e ver a vida... A Carrie adulta do seriado é um pouco descrente às vezes, embora não deixe de continuar sonhando – contraditório isso??? Acho que não, hehe...

Ahhhh, uma outra coisita que amei foi que em O Verão e a Cidade fica muito claro o amor de Carrie e muitos de seus amigos de Nova York pelos livros... Os livros norteiam muitas de suas escolhas e muito do seu conhecimento sobre as coisas da vida e das pessoas... Resumindo: AMEI!!!
Agora estou ansiosa, tanto para assistir a nova série que será sobre as mulheres de Sex and the City quando chegaram a Nova York (20 anos antes do filme), quanto para ler um próximo romance que Candace Bushnell escrever, já que suas personagens são cheias de personalidade, estilo e simpatia... Bom início de semana pessoal!!!

22 de jun de 2012

O Clube de Leitura de Jane Austen




Meu Deus, como pude demorar tanto tempo para assistir esse filme???
Ele é simplesmente maravilhoso, especialmente para os amantes da literatura...

O Clube de Leitura de Jane Austen é inteligente, sincero, romântico e realista... Os sentimentos e as emoções de seus personagens se fundem (e confundem) aos sentimentos e emoções dos personagens dos livros que estão lendo, mostrando não só que a vida imita a arte, ou vice-versa, mas que uma boa história de vida e de amor (não seriam os dois o complemento um do outro???) independe de uma época...

A sensibilidade e a intensidade com que escreveu seus romances, tornou a autora, Jane Austen, bem como suas obras, verdadeiros clássicos da literatura mundial e das histórias de amor... Aliás, como foi que passei tanto tempo sem ler seus livros??? Gente, tenho até vergonha de admitir, mas nunca li nada da escritora, só assisti a dois filmes inspirados em seus trabalhos: Razão e Sensibilidade e Orgulho e Preconceito - que também ficam como dicas de filmes para quem não viu, assistir, e logo porque são muito muito bons!!!

Se para essa pessoa aqui que vos fala já foi maravilhoso assistir O Clube de Leitura de Jane Austen, imaginem como será para os fiéis leitores e admiradores de Austen???
Então fica a dica pessoal... Um fim de semana maravilhoso pra todos vocês... Muita luz e harmonia... Aproveitem o friozinho, encham bem a pancinha (hehe), curtam filmes e comecem a ler um bom romance... Até mais!!!





21 de jun de 2012

Superação...


Oiiieee!!!
Então pessoal, acabei de ler na revista Vogue do mês de abril (peguei emprestada achando que era de junho, olhem só, hehe) e me deparei com uma matéria que me emocionou... O jornalista Carmo Chagas escreveu um livro intitulado Feliz de Outro Jeito, em que conta a história real de superação de sua mulher Léa que, após a complicação de uma cirurgia cardíaca, teve de amputar os dois pés e começar a usar próteses para voltar a andar e tocar sua vida...
Gente, o texto dele é lindo, sensível, claro, emocionante, leve... Fiquei curiosa sobre o livro e aproveito para estimular a curiosidade de vocês também...
Feliz de Outro Jeito fala da alegria de estarmos vivos e da felicidade que pode surgir a partir da superação de nossos próprios limites... Uma história de vida e de amor, já que o casal, Carmo e Léa, está junto há 43 anos... Vale a pena ler, se emocionar e conhecer a força e a fé de uma mulher...


19 de jun de 2012

Ler faz BEM...


Olááá pessoal!!!
Um ótimo início de semana para todos vocês...

Olha gente, eu andava meio preocupada “comigo própria”, de verdade... Estava me sentindo muito devagar com minhas leituras... A essa altura do campeonato, por exemplo, no ano passado, acredito que já tinha lido um número maior de romances do que esse ano... Sei que agora tenho o blog e tudo... Sei também que preciso me conectar, vir aqui, escrever, ler os outros blogs e me atualizar, mas, mesmo assim, acho que esse espaço aqui (bem como sua essência), só tem sentindo por conta dos livros que eu leio certo??? Quer dizer, ainda que eu goste de falar sobre algumas crônicas – filmes e músicas - ou mesmo sobre algumas passagens da minha vida e coisas que acredito e gosto, a literatura é maior prioridade do blog né??? Acredito que muita gente (leia-se: outras blogueiras, amigas e pessoas que conheço e admiro) acaba dando um tempo do espaço virtual às vezes, seja por conta dos compromissos, da correria do dia-a-dia e das outras atividades que executa, ou seja por nenhuma razão em específico também (sim, todos temos esse direito ué)... Mas, quando o assunto são os livros (e quem escreve sobre isso), penso que, mesmo afastados, não podemos deixar de ler, ou podemos??? Digam sim e me sentirei mais aliviada, hehe, brincadeira... Ler é uma necessidade minha, independente de qualquer coisa...

Pois então, o objetivo do texto de hoje, além de ser o de lhes desejar um dia maravilhoso, é o de contar que, na quinta e sexta-feira passada, senti um novo ritmo voltando para minhas leituras... Consegui quase terminar um livro em menos de uma semana, me dediquei a ler ininterruptamente um romance durante horas e, sabem o que isso me fez sentir??? Senti o quanto é exatamente isso que eu adoro fazer, o quanto é exatamente isso que me faz um bem danado, o quanto isso funciona como uma verdadeira terapia, me desligando do mundo e me permitindo viajar com meus personagens... E isso tudo meu povo, não tem preço, porque é exatamente essa a sensação que dá todo o sentido e alimenta toda a paixão pela leitura... Não quero mais abandonar esse sentimento e espero, sinceramente, que vocês, leitores, também sejam contemplados com isso, afinal, quanto mais livros eu conhecer, mais dicas, sugestões e textos terei para dividir com vocês... Um abração meu people!!!


15 de jun de 2012

Madame Bovary - parte II


Voltando a nossa amiga Bovary...
Então, o escritor francês, Gustave Flaubert, publicou esse romance em 1857, o que gerou toda uma comoção naquele tempo (imaginem) e levou o autor a um julgamento por ofender a moral e a religião, do qual ele foi absolvido. Madame Bovary foi seu trabalho mais importante e considerada a primeira obra da literatura realista.

O romance faz uma crítica aos valores burgueses da época narrando a história de Emma, uma mulher criada no campo, muito bonita e requintada para os padrões provincianos, que mesmo casando-se com o apaixonado médico Charles Bovary, nunca parece estar satisfeita com sua vida, buscando no adultério, a liberdade e a felicidade que nem seu marido e nem o nascimento de sua filha conseguiram satisfazer...

Gostei de duas coisas nessa obra:
- Uma, claro, a história em si e sua relação com a Psicanálise de Lacan que aprendi na faculdade. É claro que depois de anos, o livro acabou fazendo muito mais sentido que o filme. Aliás, acho que li esse livro justamente por conta de seu significado psicanalítico e acabei gostando da história independente disso.
- Duas: mesmo sendo um livro de 1857, o autor continua fazendo-se entender até os dias de hoje, assim como o conteúdo de sua obra, o que mais uma vez vem provar (como se isso precisasse de provas) o caráter atemporal da literatura.

Leiam, conheçam a história, façam suas próprias análises e divirtam-se... Acho tão bom quando um romance é capaz de abrir um leque de significados e observações... Vamos trocar idéias... Venham aqui comentar, quero saber a opinião de vocês sobre o livro (ou filme) e sobre a Psicanálise... Sejam sempre bem-vindos!!! Um ótimo fim de semana a todos!!!! 


O escritor Flaubert

Imagem de Emma Bovary no filme que assisti

14 de jun de 2012

Madame Bovary e a Psicanálise - parte I


Olá minha gente!!!

Então, a primeira vez que ouvi falar sobre Madame Bovary foi na faculdade de Psicologia. Estava fazendo uma matéria que se chamava “Introdução a Jacques Lacan”, lecionada pelo professor Sérgio Scott, na UFSC.
Para quem não conhece, Lacan foi um importante teórico da Psicanálise e, foi também por gostar e me identificar com sua obra que, durante alguns anos, fiz análise com uma Psicóloga de Orientação Lacaniana – ela era (e continua sendo) quase uma “ídola” pra mim (Freud, ou Lacan, explicam isso, hehe)... Depois da faculdade também fiz alguns anos de formação em Lacan porque, pra mim pelo menos, sua relação teoria-prática é algo totalmente palpável no consultório - trocando em miúdos - é possível ver, de forma clara e prática, todo o sentido de seus ensinamentos na relação terapeuta-paciente...

Ai, ai, meu povo, me empolguei, mas é que esse assunto é empolgante demais pra mim... Lembro que quando fui a primeira vez na Escola Brasileira de Psicanálise, em Floripa, fiquei admirada com os jornais franceses que estavam pendurados em quadros nas paredes, dando à sala da Escola um ar meio “retrô”, misterioso e analítico, hehe... Sim, definitivamente adoro a Psicanálise e consigo sentir sua presença em diversos momentos da vida – da minha e da dos outros – mas não se preocupem, não fico analisando o povo o tempo todo, atualmente, como não clinico, costumo fazer isso só diante o pedido de alguma amiga insistente, hehe... As manifestações artísticas – literatura, cinema, teatro – e as relações humanas também estão carregadas de Psicanálise...

Agora, voltando ao início... Esse professor que ministrava Lacan, Sérgio Scott, era um especialista em Madame Bovary. Como assim??? Explico: Sérgio Scott usou a obra Madame Bovary em seu doutorado para falar da Histeria, uma neurose bastante complexa e estudada desde os tempos de Freud... Aliás, o termo “histérica” caiu no gosto popular e hoje é utilizado para definir pessoas que não necessariamente apresentam essa neurose (eis o tão falado senso comum)...
Depois de falar sobre essa tal Madame, o professor apresentou o filme de mesmo nome (sim, existe o livro e o filme)... É, faz tempo minha gente, tanto que na época, assistimos o filme, que havia sido gravado do Corujão (aquele que passa bem tarde na globo e que geralmente apresenta filmes mais antigos, lembram??? Pois é), num vídeo cassete... Agora só me recordo de ter achado aquela mulher, vamos chamar assim, um tanto quanto singular, hehe...

E, depois de muitos anos, me deparo com quem??? Exatamente, com o tal livro do Gustave Flaubert chamado: Madame Bovary. Só não lembro aonde comprei, sei que foi num sebo, mas não lembro das circunstâncias específicas, mas acho que isso não importa né??? Aliás, este livro está emprestado e ainda não me devolveram, hehe, mas a pessoa já se explicou...
Voltem amanhã e contarei a história do livro sim??? Porque esse texto aqui já ficou muito grande pro meu gosto (e de repente para o de vocês também, melhor prevenir, hehe)... “Inté” amanhã!!!!

Jacques Lacan

Capa da edição que li (bem antiga)

12 de jun de 2012

Dia dos Namorados...


Olá minha gente!!! Tudo bem por aqui???
Bom, sendo hoje Dia dos Namorados, não há como não falar, ou escrever, sobre o AMOR... Aliás, preciso confessar uma coisita a vocês: decididamente sou uma pessoa romântica, bem romântica (e das assumidas hein??? hehe)...

E, para celebrar o dia de hoje, decidi publicar a letra de uma canção do Vinicius que eu amo e que, não por acaso, foi a música que meu marido entrou na igreja no nosso casamento... Vinicius, pra mim, foi um dos maiores poetas de todos os tempos e suas obras permanecerão inesquecíveis... Sei que muitos já devem conhecer essa letra, mas, quando o assunto é amor, nunca é demais falar, ler, cantar, sentir... 
Essa é também a minha homenagem para meu Davi, meu amor, meu eterno namorado...

Se todos fossem iguais a você:

“Vai tua vida
Teu caminho é de paz e amor
A tua vida
É uma linda canção de amor
Abre teus braços e canta a última esperança
A esperança divina de amar em paz

Se todos fossem iguais a você
Que maravilha viver
Uma canção pelo ar
Uma mulher a cantar
Uma cidade a cantar
A sorrir, a cantar, a pedir
A beleza de amar
Como o sol, como a flor, como a luz
Amar sem mentir, nem sofrer

Existiria a verdade
Verdade que ninguém vê
Se todos fossem no mundo iguais a você...”




6 de jun de 2012

Comprando livros...


Gente, toda mulher – e acho que todo homem, embora um pouco menos (pelo menos é o que conta a lenda) – tem sempre uma prioridade em suas compras... Algumas garotas elegem os sapatos como suas aquisições preferidas, outras elegem as roupas, ainda tem aquelas que amam comprar coisinhas pra casa e tem também as que gostam mesmo é de gastar a “grana” em livros... Bom, acho que não há dúvidas de que esse último caso não só diz respeito a mim como a muita gente que visita o Ler e Amar e é claro que não foi a toa que escolhi justamente o tema leitura para criar o blog né??? As pessoas geralmente preferem falar, ou escrever – no meu caso as duas coisas – sobre o que sabem ou sobre o que acham que sabem, hehe, afinal sempre há mais para se conhecer e quando o assunto é literatura então, nem se fala...

Pois é... Acontece meu povo que, ultimamente, andei até bem comedida no consumo de livros (fora os dois da semana passada, que eram ofertas imperdíveis no sebo)... Já houve épocas, em que eu comprava muito mais romances do que hoje – vai ver foi justamente por isso que andei economizando, já que a lista das obras em espera continuou só a crescer ao invés de diminuir... Não sei, acho que depois que casei, passei a gostar de adquirir itens para o lar também... Sim, e entre essas coisas nasceu o vício em velinhas perfumadas e aromatizadores de ambiente... Meu marido, Davi, anda dizendo que daqui a pouco, com a quantidade de velas que temos nas gavetas, vamos abrir um terreiro e começar a fazer despachos, será??? hehe... A coisa ficou tão séria que estou meio que proibida de comprar castiçais para colocar as velinhas... É verdade, não riam, ao invés disso, quando acharem um bem legal, comprem pra vocês ou pra mim, hehehe...

Então, todas essas idéias, sobre as quais lhes escrevo agora, surgiram enquanto eu, ansiosa que só, me dirigia a uma papelaria para buscar meu mais novo e querido amigo: o romance O Verão e a Cidade. Sim, finalmente consegui comprar essa “belezura”. Para quem não sabe, O Verão e a Cidade, é a continuação de Os Diários de Carrie, sobre o qual já falei aqui no blog. Se Os Diários de Carrie fala sobre uma Carrie adolescente e no final do colegial de uma cidade pequena, O Verão e a Cidade mostra sua chegada a Nova York e seu primeiro encontro com suas três grandes amigas – todas, personagens “glamourosas” do seriado (e do filme) Sex and the City.

O livro é lindo, rosinha e com uma maçã brilhosa na frente... Um livro novo - seu colorido, seu cheirinho, suas palavras - faz a gente se sentir como crianças no Natal... E, pelo que vocês lembram, era uma sensação bem boa não era??? hehe... Fica aí a dica de leitura pessoal: O Verão e a Cidade, de Candace Bushnell... BOM FERIADO MEU POVO!!!


1 de jun de 2012

Ótimas aquisições no Sebo


Oláááá pessoal!!! Eis que chega a nossa querida sexta-feira: bem-vinda amiga!!! hehe... Então, sexta-feira geralmente é meu dia de folga, dia este, que eu tiro para dar uma organizada na casa, cozinhar, fazer minhas voltas, tomar um café com uma amiga e, várias vezes, entre todos esses programas, aproveito também para visitar um sebo ou uma livraria... Como diz a minha sogra, é quando vamos a esses lugares, que dá aquela vontade de ter muuuuitooo dinheiro para comprar todos os livros que a gente quiser – e olha que essa quantidade pode ser bem superior ao que muita gente imagina...
Teve uma época em que eu comprava pelo menos um romance por mês, mas andei meio relapsa com isso – quer dizer, mais ou menos né, porque acabei adquirindo ou ganhando tantas obras legais que fui acumulando uns tantos volumes lá na fila de espera de leitura... Para voltar ao bom e velho ritmo - um mês = uma nova aquisição - na segunda, assim que recebi meu dindin, fui correndo para um sebo que eu adoro e que tem sempre ótimos exemplares para vender ou trocar.
Um sebo é sempre uma excelente opção na hora de escolher um livro para ler ou presentear alguém... Muitos deles, inclusive, estão repletos de livros, revistas, DVDs e CDs praticamente novos... Além da economia, a gente já pode ajudar a preservar o meio ambiente... Sim porque de uma certa maneira, a gente reutiliza uma literatura já conhecida de alguém, mas que nem por isso perdeu seu encanto ou tornou-se inútil, pelo contrário, não me canso de dizer que os livros são atemporais e muitas edições, inclusive, já não são mais lançadas, estando disponíveis só nos sebos mesmo...
Para resumir, em minha visita ao sebo Paixão de Ler, aqui em Tubarão, consegui adquirir duas obras muito boas, que eu até já tinha visto em livarias, e que estavam em ótimo estado de conservação e com preços “irresistíveis”, o que tornou tudo ainda mais atraente, hehe... Por tudo isso minha gente, as indicações da semana serão esses dois novos romances, ambos no estilo literatura mulherzinha, ou chiklit, e que prometem boas histórias e muitas risadas...
UM FIM DE SEMANA MARAVILHOSO PRA VOCÊS MINHA GENTE!!! Muita luz e muita alegria para descansar, relaxar ou fazer algo que lhes traga leveza, paz e felicidade...



Um romance sobre amor, sexo, negócios e... bebês!!!