6 de mar de 2012

O Discurso do Rei


Olááá minha gente!!! Um início de semana MARAVILHOSO pra todos vocês!!! Que tal começarmos a semana tentando realizar nossos afazeres com toda a paciência e dedicação, vivendo nosso dia a dia com muita calma e determinação – permitindo-nos aproveitar também os momentos de descanso e relaxamento - possibilitando assim, uma semana mais leve e feliz, mais cheia de harmonia??? Vamos lá???

Então, ontem assisti O Discurso do Rei e, antes mesmo do filme terminar, já tinha certeza de que era sobre ele que eu falaria hoje... O Discurso do Rei é simplesmente excelente!!! O roteiro, a fotografia, o figurino, a direção, os atores, enfim, todos os detalhes são impecáveis... E, apesar de ter levado um bom tempo para assisti-lo, desde sua indicação ao Oscar no ano passado, só pude chegar a conclusão de que o prêmio de melhor ator foi merecidamente entregue nas mãos de Colin Firth.


Colin Firth é um ator britânico que eu conheci através do filme O Diário de Bridget Jones (inspirado no romance de mesmo nome, como muita gente já deve saber, e considerado um clássicos da “literatura mulherzinha”), mas ele ganhou fama foi através da série de televisão Orgulho e Preconceito (baseada na obra de nossa maravilhosa escritora Jane Austen), na qual interpretava o charmoso personagem Mr. Darcy. O ator também já havia sido indicado ao Oscar por sua atuação em A Single Man - no Brasil, Direito de Amar - filme dirigido pelo estilista Tom Ford (e que também quero muito assistir).

Em O Discurso do Rei, conhecemos mais do que a história do Rei George VI (pai da Rainha Elizabeth II), seu nervosismo, sua gagueira e sua ascensão ao trono da Inglaterra. Pra mim, o que chamou a atenção no filme foi a maneira que questões como superação e amizade foram retratadas. A superação não só de uma gagueira, mas de toda uma gama de acontecimentos por trás dela, como uma infância cheia de ansiedade e a superação de um adulto nervoso e inseguro, com lembranças a rever e enfrentar, mas que ainda assim descobriu a coragem de tentar e mudar. A amizade entre um membro da Monarquia, com toda a sua pompa e decoro e um terapeuta inteligente, engraçado e determinado. Uma amizade incomum, mas verdadeira...

Olha minha gente, uma boa história, com um conteúdo (bem) psicológico a ser avaliado por quem quiser (que tal Psicólogas???) e ambientado na charmosa Inglaterra, lugar que ainda conhecerei numa viagem que vai se dar para além das páginas dos livros, acompanhada pelo meu maridão... Estou esperando hein Davi??? Hehe... Até mais “gentem”...





2 comentários:

  1. Um ótimo filme!!! Assista também "Vidas cruzadas". Maravilhoso. Queri ver se falo sobre ele essa semana!!! Bjoo
    Aline

    ResponderExcluir
  2. Olá! cheguei aqui através do blog da Eliete e adorei encontrar este espaço; também adoro ler e com certeza virei mais vezes aqui...bjs
    http://claudiaroma.blogspot.com

    ResponderExcluir