26 de ago de 2011

A Boa Terra

Olha, um dos textos mais lidos aqui no blog, foi um que escrevi sobre os livros marcantes que conhecemos ao longo de nossas leituras e que são capazes de despertar toda nossa sensibilidade... Na ocasião falei ainda sobre A Menina que Roubava Livros, que, aliás, representa muito bem esse tipo de leitura e sentimento...
A obra da qual vou lhes falar hoje é um exemplo claro de, como muitos romances, por serem tão bem escritos e por terem tanta força e estilo, tornam-se atemporais... Ultrapassando os anos, as décadas e épocas que eles descrevem... Transformando-se em verdadeiras relíquias em forma de papel, clássicos da literatura mundial... A Boa Terra, escrito por Pearl S. Buck com certeza é um desses clássicos.

Pearl S. Buck nasceu em 1892 nos Estados Unidos, mas também viveu parte de sua vida na China. Já ganhou o Prêmio Pulitzer (prêmio americano concedido a trabalhos de excelência na área de jornalismo, literatura e música) e o Prêmio Nobel de Literatura. Faleceu em 1973, aos 80 anos. A Boa Terra foi o segundo romance escrito por ela. Lançado em 1931, já no seu primeiro ano de lançamento vendeu quase 2 milhões de exemplares e foi um dos grandes responsáveis pelos prêmios concedidos à autora.
Encontrei este livro num Sebo que costumo freqüentar, com uma edição atualizada de 2007. E, a história que ele conta está até hoje na minha cabeça, aliás, mesmo quando terminei de lê-lo, fiquei pensando na vida e no destino dos personagens durante muito tempo. Depois, buscando mais informações sobre Pearl S. Buck e suas obras, descobri que o romance A Boa Terra tem uma continuação e junto com outros dois livros forma a trilogia: A Boa Terra, Os Filhos de Wang Lung e A Casa Dividida. Infelizmente, essas duas últimas narrativas, não encontrei nem em sebos e nem em livrarias... Caso alguém tenha algum deles ou tenha visto em algum lugar me avise sim??? Ficarei agradecida pessoal!!!
Acho que a edição de 2007 (que eu li) deve ser a mais recente desse livro. Mas existem outras edições mais antigas, com outras capas inclusive, que vocês podem encontrar entre coleções da família, sebos, livrarias ou bibliotecas...

Sobre a obra: A Boa Terra é um livro forte, intenso, carregado dos sentimentos e emoções de seus personagens. Uma história que conta a saga de uma família, com os dramas, conquistas, perdas e lutas que norteiam sua vida... Uma obra carregada da beleza e da realidade do povo chinês do início do século XX (senão representar também parte do povo do interior rural da China ainda hoje).
“Um clássico que retrata a vida na China numa época em que grandes mudanças políticas e sociais transformaram um país agrário em uma potência mundial. Com muito trabalho e perseverança, o chinês Wang Lung passa da condição de humilde camponês à de latifundiário. Para ele, as terras que possui são mais sagradas do que sua mulher e filhos, e até mesmo do que os deuses. Mas as mesmas terras que lhe dão sustento e riqueza também sofrem as ações de enchentes, secas, pestes e revoluções... A Boa Terra traça o ciclo da vida – os horrores, as paixões, as ambições desmedidas e as recompensas – desse camponês e de sua família.”

Gente, uma história extraordinária e que pode nos mostrar a dura luta de agricultores e suas famílias, em todo mundo, em busca de sustento, paz e felicidade...



   

5 comentários:

  1. Acho que só em inglês. Também estava procurando a continuidade deles.
    Livro arrebatador. Não só uma boa história, mas a alma das pessoas é revelada. Um dom único de mostrar o interior das pessoas. Perl é demais.
    O final do livro, quando o ancião grita que "A terra não", é a visão da morte dele já em vida. Os filhos "matam" o pai. Impressionante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, arrebatador é uma boa palavra... Achei a parte final em que o pai fala "a terra não" muito triste...
      Parecem várias vidas numa vida, de tanta coisa que o pai e a mãe passam, credo... Mas queria muito ler a continuação... Obrigada pela visita!!!

      Excluir
  2. O filme A Boa Terra tb é bom... ainda em preto e branco. Lisa See é uma escritora americana contemporânea, de origem chinesa, tb escreve romances sobre mulheres chinesas e alguns livros dela foram traduzidos para o português. Vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiiii e bem vinda!!!! Obrigada pela visita... Então, eu não sabia do filme, mas vou procurar... Amei esse livro e obrigada pela dica da Lisa See, beijãoooo

      Excluir