31 de ago de 2011

NEVE

De acordo com a Revista Bravo, em sua edição com O Melhor da Cultura Em Dezembro de 2010, o livro Neve, de Orhan Pamuk, está entre os dez melhores livros, de autores estrangeiros, do século 21. E, ainda de acordo com a publicação, estas dez obras são essenciais para melhor compreendermos a cultura nos últimos dez anos...

Orhan Pamuk foi o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura de 2006. Nasceu em 1952 em Istambul, na Turquia. Teve seu primeiro romance, O Senhor Cevdet e Seus Filhos, publicado em 1982, sete anos depois de ter decidido tornar-se romancista. Seus trabalhos já foram publicados em diversos países.

Neve é um romance diferente, com uma linguagem mais densa e reflexiva, embora sua leitura não seja difícil. Com uma narrativa minuciosa e inteligente, consegue nos envolver em sua trama... Uma história na qual o autor explora sua crítica aos conflitos religiosos e políticos e aos valores da cultura oriental de uma forma gostosa de ler, prendendo nossa atenção. Uma obra que faz jus ao que disse o júri do Prêmio Nobel de 2006 sobre Pamuk: “na busca pela alma melancólica de sua cidade natal (Istambul), descobriu novos símbolos para o combate e a mistura de culturas.”
Um livro interessante, capaz de enriquecer nossa linguagem, nossa cultura e nossa crítica literária... Um livro que no final nos faz pensar: “que bom que li esse livro...” SURPREENDENTE!!!
Ahhhh... Depois de ler Orhan Pamuk quis conhecer outros trabalhos dele e tive a felicidade de encontrar em um sebo sua obra chamada Istambul, ainda não li, mas estou louca pra ler, conto depois aqui certo???

  Sinopse: Neve traz a história de Ka, poeta exilado na Alemanha, que viaja a uma pequena cidade turca, Kars, sob o pretexto de investigar uma onda de suicídios entre jovens muçulmanas. Durante essa visita, uma nevasca bloqueia todas as estradas, isolando Kars do resto do mundo. E é nesse clima de isolamento que um veterano ator e sua mulher aproveitam para liderar um golpe militar. Embora tenha se distanciado da política há muitos anos, Ká é alçado à protagonista involuntário dessa revolução. Nada menos apropriado para um escritor cujos desejos são apenas registrar as poesias que lhe escapam há anos, mas que agora passam a fluir com extrema naturalidade, e se casar com Ïpek, antiga colega de escola. Mas o turbilhão provocado pelo golpe traz à tona a truculência das forças de segurança, antigos ajustes de contas e o radicalismo de alguns militantes islâmicos. Enquanto Ka tenta se equilibrar entre as diversas facções em choque, vê a cidade se tornar um microcosmo dos conflitos raciais, políticos e étnicos da Turquia, além de palco da sua tragédia pessoal.

2 comentários:

  1. Eu não sei vc, mas o meu gosto por livros depende um pouco de épocas. Esse livro eu já tive muita vontade de ler, hoje, sei lá, acho que é um livro tão sem graça. Dai no momento não estou decidida a ler ou não. :/ algum dia descubro!!!
    Sabe o que to lendo???? a história do chocolate!!! rsrsrs
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Aline Eu também sou de épocas, mas descobri que adoro conhecer lugares diferentes através das histórias... Apesar de Neve ter uma escrita mais lenta, é muito bom, meio complicado, mas é bom... Um dia lê!!!

    ResponderExcluir